Carrinho

Shiatsu: técnica de massagem japonesa milenar

Como é feito o Shiatsu?

O Shiatsu é uma técnica com mais de um milênio de existência, desenvolvida em países do extremo oriente, principalmente na China e no Japão, tendo seus conhecimentos repassados através das gerações. Ela é realizada através de pressões feitas pelos dedos do shiatsuterapeuta (o profissional que aplica a técnica) em pontos estratégicos do corpo humano, os chamados “meridianos”. Esta palavra não é estranha para você? Sim! São os mesmos meridianos que também se usam para a aplicação da acupuntura.

O Shiatsu é uma técnica bastante interessante porque enxerga o corpo como uma grande união coesa e sempre em sintonia. Desta forma, consideremos a seguinte situação: uma pessoa tem fortes dores de cabeça. Estas dores podem ser suavizadas ou combatidas se a pessoa receber as pressões do Shiatsu em um ponto determinado de seu corpo (que não é na cabeça). Sendo assim, pode trazer grande bem-estar a quem escolhe por esta terapia.

Algumas pessoas que tentam realizar Shiatsu podem reclamar de que esta terapia é dolorida, devido às pressões realizadas pelos dedos, muitas vezes com força. Entretanto, é importante ressaltar que isto pode variar de pessoa para pessoa. O Shiatsu é uma técnica de massageamento que utiliza bastante força e vigor. Se você é uma pessoa que prefere contatos mais suaves, esta pode não ser a massagem mais indicada para você. Ainda assim, recomendamos que você experimente!

Os benefícios do Shiatsu

Quem realiza sessões de Shiatsu costuma relatar os seguintes benefícios: melhora na postura cervical, mais bem-estar com o próprio corpo, combate às dores, menos estresse e mais relaxamento, mais facilidades para dormir, mais facilidade para se concentrar, entre outros benefícios.

É importante ressaltar também que esta técnica pode não ser indicada para algumas pessoas, devido à força exercida pelos dedos do terapeuta. Fique atento para ver se você se encaixa:

Grávidas, pessoas com osteoporose, pessoas muito obesas, pessoas muito idosas, crianças abaixo dos 10 anos, pessoas com doenças musculares ou dermatológicas, pessoas muito sensíveis à pressão física.

Ainda que você faça parte de algum desses grupos, pode ser interessante consultar o seu terapeuta e verificar a possibilidade da aplicação dessas técnicas, mesmo com um pouco menos de vigor. Os resultados ainda podem ser ótimos! É importante também sempre consultar seu médico para verificar se não há nenhum empecilho patológico ou corporal que possam atrapalhar os resultados da terapia.